Colaboradoras fazendo gestão de riscos

Gestão de riscos: o que é, vantagens e como ajuda empresas com frotas?

31 de março de 2021 por Ticket Log em Gestão Empresarial
Voltar

A gestão de riscos de frotas pode ser identificada como um composto de ações planejadas para prevenir, identificar e administrar riscos ligados a determinadas operações. Essas estratégias proporcionam que a empresa opere de maneira preventiva, atuando ativamente para reduzir as perdas.

Pensando nisso, resolvemos desenvolver um artigo especial para que você entenda melhor sobre essa estratégia. Confira!

O que é gestão de risco?

Gestão de riscos é o processo de avaliação, identificação e controle de ameaças aos lucros e capital de uma empresa. Essas ameaças podem ter origem em uma vasta pluralidade de fontes, abrangendo vulnerabilidade financeira, manutenção, combustível, quilometragem, acidentes de trânsito, rotas, multas, entre outros aspectos.

Assim, os riscos relacionados a dados e as ameaças à segurança dos veículos e condutores tornaram-se essenciais para soluções às empresas de frotas.

Qual a importância dessa técnica?

Com a implementação de uma proposta de gerenciamento de riscos e considerando situações inesperadas antes que elas aconteçam, uma empresa de frota de veículos espera uma alta economia financeira, além de proteger seu futuro pelas estradas.

Isso calha porque um plano robusto auxiliará a companhia a definir procedimentos para escapar da falta de gerenciamento, lidar com os resultados e minimizar seu impacto caso ocorram.

Essa capacidade de controlar e entender os riscos possibilita que os condutores trabalhem com mais confiança nas tomadas de decisões.

Além do mais, uma forte cultura de governança corporativa que se converge principalmente na gestão de riscos pode ajudar uma instituição a atingir suas metas com os fretes que chegam no destino com segurança e dentro do prazo.

Outras vantagens relevantes da gestão de riscos são:

  • Amplia a estabilidade das operações rodoviárias, simultaneamente, reduz a pressão rotineira ao condutor;
  • Cria um ambiente de trabalho protegido e seguro para todos os clientes e colaboradores;
  • Auxilia a organizar as necessidades de seguro da empresa para controlar as rotas desnecessárias;
  • Disponibiliza proteção contra ataques prejudiciais à companhia;
  • Ajuda a proteger todos os envolvidos da equipe e ativos de danos potenciais.

A produtividade necessita fazer parte desta lista de benefícios, dado que, ao projetar as rotas melhores, é viável realizar mais fretes no mesmo período de tempo. Assim, a tecnologia tem uma função fundamental nesse percurso.

Quais são as estratégias e processos de gestão de risco?

Em geral, os planos de gerenciamento de risco trilham as mesmas fases que se combinam para formar o processo de integração das frotas para gerenciamento de risco:

Estabeleça o contexto

Entenda as situações das rodovias e as tentativas de ataques ao sistema em que o resto do processamento acontecerá. Os critérios que serão utilizados ​​para averiguar o risco também devem ser definidos e a estrutura da avaliação deve ser estabelecida.

Identificação de risco

Os gestores conseguem definir e identificar os riscos potenciais que podem afetar negativamente um processo de entrega de frete ou projeto específico que a empresa iniciou com seus clientes.

Análise de risco

Uma vez identificados os tipos específicos de risco, como desvio de carga, roubo e desvio de rota, a instituição determina as chances de ocorrência de cada um deles, bem como suas consequências. O propósito da análise de risco é entender mais sobre as instâncias específicas de risco e como ele pode atuar nas metas e projetos da empresa.

Avaliação de risco

O risco é então classificado após estabelecer a probabilidade geral de ocorrência combinada com seu resultado geral. Ou seja, a empresa pode tomar decisões sobre se o risco é aceitável e se a organização está preparada para assumi-lo baseado em sua ambição.

Mitigação de risco

As companhias de frotas avaliam seus riscos e elaboram um planejamento para aliviá-los usando controles de risco específicos. Esses planos englobam processos de táticas de prevenção de risco, mitigação de risco e planos de contingência caso o risco se concretize, roubo ou furto de carga.

Monitoramento de risco

Uma parcela do plano de mitigação compõem-se da orientação dos riscos e do planejamento geral para rastrear e monitorar as rotas e cargas continuamente com os riscos existentes e novos. Em geral, o gerenciamento de risco também precisa de revisão e atualização conforme os fatos ocorrem.

Comunique-se e consulte

Os gestores devem ser inseridos na consulta e comunicação em cada etapa pertinente do processo de gestão estratégica das frotas junto aos condutores. E, também, quanto ao processo como um todo.

Por fim, agora ficou fácil de entender que a gestão de riscos é fundamental para que sua empresa tenha um maior respaldo e um plano de ação eficaz contra ataques e ameaças no sistema de comunicação.

Por isso, cada vez mais as empresas se interessam por essa estratégia e a implantam, pois gerenciam manutenção, combustível, quilometragem, acidentes de trânsito, rotas, multas, entre outros aspectos.

Gostou do artigo? Aproveite então para receber mais conteúdos atualizados ao seguir nossa página no Facebook!

0
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *