Pirâmide de Bird na Gestão de Frotas

Pirâmide de Bird e como usar para a gestão de frotas

23 de fevereiro de 2021 por Mateada em Gestão de Frotas
Voltar

Durante as décadas de 1950 e 1960, Frank Bird foi pioneiro no desenvolvimento de um conceito de lesão que inclui controle de acidentes, identificação, custos e danos materiais. Hoje, esse método ainda é amplamente utilizado na análise de acidentes, como na Pirâmide de Bird gestão de frotas.

Esse modelo aponta o descontrole como principal causa de perdas, sejam humanas, patrimoniais, em processos ou que afetem o meio ambiente. No entanto, também sugere que para que ocorra um sinistro deve ocorrer uma série de eventos. Mas iremos explicar durante o artigo. Confira!

O efeito dominó

A teoria da causalidade explica os fatores e as causas da ocorrência de acidentes nas empresas de frotas. São divididos em pré-contato, contato e pós-contato, o que explica a perda após o acidente.

A falta de controle é o primeiro fator que encontramos para que um acidente seja possível. Pode ser devido a:

  • A inexistência de softwares ou sistemas;
  • Padrões inexistentes ou inadequados para os requisitos dos diferentes processos aos condutores;
  • Violação dos padrões estabelecidos.

A Causa Básica é aquela que deriva da falta de controle do setor e pode ser dividida em duas.

Fatores pessoais que são aqueles que estão ligados ao comportamento humano, entre os quais se destacam:

  • Falta de conhecimento ou treinamento.
  • Motivação;
  • Economize tempo;
  • Procure conforto;
  • Defeitos físicos ou mentais.

Fatores de trabalho que estão relacionados ao ambiente de trabalho e processos nele desenvolvidos, por exemplo:

  • Um local de trabalho deve fornecer elementos de segurança para seu pessoal;
  • Falta de informação (treinamento);
  • Falta de padrões de trabalho ou negligência trabalhista;
  • Projeto inadequado de máquinas e equipamentos;
  • Desgaste de equipamentos e ferramentas.

A Causa Imediata é o que leva a lesão e está dividida em dois eventos:

  • Ações e/ou condições abaixo do padrão que ocorrem quando as causas básicas não são controladas;
  • Atos abaixo do padrão, que ocorrem quando o trabalhador não cumpre as medidas de segurança.

Condições abaixo do padrão são aquelas que são geradas quando a empresa não oferece as condições adequadas para a realização do trabalho com segurança, dentre as quais podemos citar, por exemplo:

  • Falta de proteções e salvaguardas nos veículos e instalações;
  • Proteções inadequadas;
  • Falta de sistema de monitoramento, alarme ou chamada de atenção;
  • Falta de ordem e limpeza nos locais de trabalho;
  • Local inadequado para trabalhar e entregar os produtos.

O pós-contato é onde se valoriza a perda, econômica ou não, e de todos os diversos efeitos (físicos, psicológicos, econômicos, jurídicos, funcionais, etc.) dos acidentes que decorrem de danos ao condutor e/ou ou para os ativos da empresa. Por isso, a necessidade de implementar a Pirâmide de Bird gestão de frotas.

Pirâmide de controle de risco

A pirâmide de controle de risco de Frank Bird é uma representação gráfica da proporcionalidade que existe entre incidentes (eventos que não geram perdas) e acidentes com danos à saúde do trabalhador.

Geralmente, é utilizado para explicar a importância de investigar e solucionar, não só os acidentes mais graves, porém, os mais simples também e para explicar o estudo da proporção de acidentes para que os gestores possam agir da melhor maneira. Tal como dirigir sem descansar direito.

De acordo com estudos, para cada acidente com lesão incapacitante, com perda de mais de três dias, há 10 acidentes com lesões leves, sem deficiência, 30 acidentes com danos materiais ao patrimônio e 600 quase acidentes, que não causam lesões ou danos.

Por isso, a teoria da causalidade é aplicada para evitar acidentes de trabalho, a fim de manter a estabilidade econômica da empresa e obter mais lucros, uma vez que, ao reduzir os acidentes, são regulamentados os prejuízos humanos ou materiais.

Controle e responsabilidades

A teoria da causalidade pode ser identificada como uma prática operacional e administrativa (motorista e gestor) que busca anular os resultados destrutivos de perdas reais e potenciais, derivados das ocorrências inesperadas ​​relacionadas aos perigos da operação.

Isso requer a aplicação de conhecimentos e técnicas de gestão profissional aos métodos e procedimentos de trabalho que se destinam especificamente a reduzir perdas relacionadas a eventos indesejados.

Esse método evidencia que para acontecer uma perda é preciso ocorrer eventos em série. Podendo eles serem provocados na conduta humana ou nas condições da empresa. Por sua vez, decorrem da falta de responsabilidade e controle que sempre recai sobre a companhia de frotas.

Por fim, os gestores aplicando a Pirâmide de Bird gestão de frotas nas empresas que atuam podem gerar um ganho na lucratividade, com a saúde e experiência do colaborador, nos veículos, e ainda elevar sua marca. Agora basta seguir as dicas e implementá-las.

Gostou do artigo? Então aproveite agora mesmo para entrar em contato conosco e tirar suas dúvidas!

0
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *