Recorremos ao gerente de Motorspost da Pirelli, Fábio Magliano, para falar sobre um componente muito importante do veículo, mas que ainda segue dividindo opiniões, sobretudo porque que cada pessoa tem a sua própria maneira de lidar com ele. Afinal, o que fazer para que os pneus durem mais? Será que os motoristas precisam dispor de conhecimentos mais técnicos ou basta seguirem dicas básicas em busca da tão desejada economia dos pneus, além da maximização da segurança oferecida por eles?

De acordo com o Magliano, tudo começa com a compra dos pneus certos. É essencial que eles atendam às recomendações no Manual do Proprietário para oferecerem o melhor desempenho possível com máxima segurança, conforto e mínimo consumo. “Cada veículo demanda pneus que atendam especificações determinadas. Estas informações são vitais para a escolha do pneu, já que ele precisa suportar o peso do veículo, transmitir força gerada pela tração e atuar na hora da frenagem e amortecer impactos, além de ter papel fundamental no consumo de combustível”, explica.

Quando um motorista opta por rodar com um pneu careca, isso não apenas coloca em risco a integridade de condutor e passageiros. Segundo o gerente da Pirelli, pneus em fim de vida podem também afetar o sistema de ABS do carro. “Por já ter perdido seu melhor desempenho, aderência na superfície e escoamento de água, com a perda da borracha, o sistema de freios do carro pode não funcionar adequadamente, causando travamentos e, consequentemente, perda de controle do veículo”, afirma.

Para evitar dor de cabeça, confira as 10 importantes dicas do especialista da Pirelli

1 – Faça o rodízio dos pneus a cada 10 mil quilômetros ou caso seja detectado um desgaste irregular. No rodízio, deve-se trocar a posição do pneu dianteiro esquerdo com o traseiro esquerdo e do pneu dianteiro direito com o traseiro direito;

2 – Faça o alinhamento e o balanceamento das rodas caso sinta alguma trepidação no volante ao dirigir. O mesmo deve ser feito caso seja notado que o carro está “puxando” para um dos lados;

3 – Evite acelerações e freadas repentinas e bruscas. Uma condução mais leve exigirá menos dos pneus;

4 – Nunca use medidas maiores ou menores do que as recomendadas – opte pelo pneu original do veículo ou respeite as medidas indicadas no Manual do Proprietário, o que garante desempenho, dirigibilidade e segurança do veículo;

5 – Desvie de buracos e transite com velocidade reduzida para evitar que danos sejam causados à estrutura dos pneus;

6 – Passe com cuidado por valetas e lombadas – nunca de lado. O correto é alinhar o veículo, passando com as duas rodas de cada eixo ao mesmo tempo;

7 – Nunca suba em guias [que não sejam rebaixadas] com o veículo;

8 – Não estacione o veículo sobre produtos químicos e não use derivados de petróleo neles. Assim, a borracha dos pneus manterá suas propriedades básicas inalteradas;

9 – Obedeça aos limites de velocidade e de carga do veículo;

10 – Mantenha seu veículo com a manutenção em dia para que os pneus sejam utilizados da melhor maneira possível.

Está difícil acompanhar o desgaste? Conheça essa novidade que vai te ajudar

É em categorias automobilísticas como Fórmula 1, Mundial de Superbike, Stock Car, Fórmula Truck, Superbike Brasil, entre outras, que a Pirelli consegue testar e evoluir os pneus que mais tarde serão comercializados pelo mundo. “Todo o conhecimento adquirido nas pistas de corrida funciona como base para o produto que chega até o consumidor final”, atesta Fábio Magliano. Segundo ele, a empresa investe constantemente no desenvolvimento de novas tecnologias.

Uma das novidades da fabricante que parece ter vindo do futuro foi revelada no Salão do Automóvel de Genebra, na Suíça, em março de 2017. O gerente de Motorspost da marca destaca que se trata de um pneu conectado. “O sistema Connesso, da Pirelli, por meio de um chip no pneu, passa informações em tempo real do funcionamento do mesmo para o veículo que são exibidas ao motorista por uma tela. Assim, o condutor consegue identificar qualquer tipo de problema com os pneus imediatamente, além de poder já ter a localização de pontos para reparo e ajuda”, detalha Magliano.

Ao contrário dos sistemas que controlam a pressão dos pneus de forma “on-board”, o Connesso faz isso até mesmo com o carro em andamento ou parado e, em breve, garantirá em tempo real e remotamente. Além da pressão, ele mede também temperatura, desgastes e quantos quilômetros rodaram cada um dos pneus monitorados. Toda informação é armazenada na nuvem e pode ser consultada pelo dono do veículo por meio de um aplicativo. Os modelos P Zero e Sottozero, lançados primeiramente nos Estados Unidos, são os primeiros a contar com essa tecnologia.