Quem disse que o mercado imobiliário não pode contribuir para a mobilidade?

Imóveis compactos, inteligentes e com serviços voltados para mobilidade e consumo colaborativo. Essa é a principal tendência do mercado imobiliário de grandes cidades como Nova Iorque, Tóquio, Paris e Londres, que começa a ganhar destaque nas metrópoles brasileiras. Em São Paulo, a pioneira nesse segmento foi a Vitacon, incorporadora fundada há cinco anos por Alexandre Frankel. A empresa, responsável por iniciativas inéditas no mercado, comercializa unidades até 60m², com mais de quarenta edifícios entregues na capital paulista.

Os empreendimentos, práticos, confortáveis e repletos de inovação oferecem serviços para compartilhar: carros, bicicletas, áreas refrigeradas para entrega de compras, ferramentas, equipamentos de pouco uso como escadas, serviços de bar, além de oferecer um aplicativo de caronas para conectar vizinhos e wi-fi nas áreas comuns. “Queremos reinventar a cidade e o espaço urbano. Mais do que morar bem, queremos viver bem”, explica Frankel.

Ele conta que depois de perder quatro horas diárias no trânsito durante anos, resolveu investir em um negócio que pudesse agregar mais qualidade de vida à cidade. “Um edifício deve funcionar como um smartphone, com funcionalidades e aplicativos que facilitem o dia a dia para mais tempo livre. Hoje, gasto meu tempo com o que gosto de fazer”.

Além dos edifícios, todos situados em endereços próximos a centros comerciais e de escritórios, a Vitacon apoia diversas ações. Entre elas, campanhas , renovação de praças, serviços para ciclistas e implantação de parklets, áreas próximas às calçadas que deixam de servir como vaga de estacionamento e se tornam áreas verdes e de convivência.

“Nossos projetos têm como base oferecer mobilidade, design, simplicidade e inovação, com máxima rentabilidade”, explica Frankel. “Trata-se de uma mudança de paradigma. Queremos lançar o desafio: vale mais a pena investir em sala de jantar, sala de jogos, sala de TV, etc ou morar próximo ao trabalho, pegar os filhos na escola todos os dias e ter tempo livre para encontrar os amigos?”.

Entre as inovações, prédios com apartamentos de 14m² que podem se transformar em cinco ambientes diferentes. “É possível compactar de forma inteligente e confortável”, afirma Frankel. Além da metragem diminuta, o edifício conta com um serviço inédito no Brasil: o apartamento compartilhado. A unidade, totalmente mobiliada e que não será vendida, pode ser alugada por alguns dias pelos moradores.

Frankel afirma que tem orgulho em dizer que sua vida mudou e que colabora para que outras pessoas mudem também. “Tudo isso é resultado de um sonho: mudar o estilo de vida urbano e torná-lo mais feliz. Juntos, somos capazes de reinventar a cidade”, afirma.