*Valor Econômico – Por Carmen Nery

Com margens apertadas ou até mesmo deficitárias, o setor de transportes de cargas obtém rentabilidade apenas via rigoroso controle de custos. Gastos com combustíveis chegam a representar 30% dos custos variáveis, e os de pneus, até 12%, exigindo um controle preciso. Sistemas para gestão de frotas, portanto, são estratégicos para a redução do consumo de combustíveis e pneus, manutenção das frotas, roteirização, rastreamento e monitoramento da maneira como os condutores dirigem. Outra necessidade premente é o gerenciamento de riscos a fim de mitigar a ocorrência de acidentes e de roubos de cargas. Sandra Beccaro, líder de auto, frotas e worksite da Marsh, explica que a corretora trabalha no gerenciamento de riscos em diversas frentes, além do próprio seguro de frotas e de danos a terceiros. Isso inclui mapeamento de acidentes, o uso da plataforma de gerenciamento de frotas, o Webfrotas, e até recomendação de sofisticadas soluções de telemetria de empresas como Tracker e Pointer, para monitorar o comportamento dos condutores.

“O único problema é que ainda é uma solução cara. No último mês, verificamos que o principal fator de acidentes foi o uso do celular. Promovemos conscientização e indicamos treinamento, que podem reduzir em 20% a ocorrência de acidentes”, acrescenta Sandra. Marcio Webber, diretor da área de transportes da WebRadar, diz que a adoção de telemetria é crescente e, somente no último trimestre, foram comercializados mais de mil sistemas.

A empresa oferece a solução Qualy Transport, com recursos de internet das coisas para monitorar a velocidade do caminhão, frenagem brusca, giro do motor, consumo de combustível e dados do condutor. “É possível ver se o condutor dirige na faixa vermelha ou verde e se faz as pausas obrigatórias. É indicado para transportadoras que lidam com cargas perigosas ou valiosas, que precisam ser mais bem monitoradas pelo risco de acidente ou roubo”, diz Webber.

A Máxima Sistemas oferece uma solução de Delivery Management System (DMS), uma evolução dos sistemas de rastreamento de veículos, na definição de Wagner Patrus, presidente da empresa. Inclui um painel web instalado nos centros de distribuição por meio do qual são distribuídas as cargas e traçados os roteiros via Google Maps ou MapLinks. Os roteiros são transmitidos para os smartphones dos motoristas com os trajetos e todos os dados das entregas. “Durante o processo as informações são enviadas para o gestor no CD”, diz Patrus.

A Maplink tem soluções em logística e geolocalização como o My Routes para planejamento e otimização de rotas. A partir de informações de origem e destino, o sistema traça rotas otimizadas levando em consideração a malha viária, pedágio, informações de tráfego histórico e em tempo real. “Temos 1.200 clientes entre empresas de logística, transporte e embarcadores”, diz Alejandro Singer, diretor da unidade de logistics.

Flavio Azan Távora, diretor de rede e relações com o mercado da CTF­DBTrans, diz que o foco do sistema oferecido pela empresa é o controle no abastecimento e consumo de combustível, por ser totalmente automatizado. A solução está disponível em 700 postos da BR Distribuidora e em 450 postos Ipiranga. Os veículos recebem um dispositivo com um chip com todos os seus dados ­ placa, frota a que pertence, tipo de combustível etc­ e uma antena instalada na boca do tanque que se comunica com a antena das bombas dos postos conveniados.

“O sistema do posto ‘pergunta’ ao carro quem é ele. Se os parâmetros forem respondidos corretamente, começa o abastecimento. Se o bico se afastar para outro veículo o abastecimento é interrompido. Não há como haver desvio de combustível”, assegura Távora.

A Ticket Log oferece soluções de abastecimento para veículos urbanos e rodoviários. A oferta Ticket Cargo é uma plataforma para gestão de abastecimento de frota rodoviária que permite estabelecer parâmetros de controle de abastecimento em 4 mil postos em rodovias; Realizar aferição e controle da pressão e desgaste de pneus e promover recolhimento de nota fiscal para restituição de 14% a 21% de ICMS. “O pacote cargo permite uma redução de 25% nas despesas”, diz Max Fernandes, diretor de estratégia e marketing.

A BGMRodotec desenvolve softwares para empresas de transportes entre os quais o módulo de oficinas e materiais, que controla a manutenção dos veículos desde o consumo de combustíveis e manutenção, ao estoque de peças e pneus e tudo o que diz respeito ao custo da frota. “Também controlamos a operação de passageiros de ônibus urbanos e rodoviários e de transporte de carga com emissão de conhecimento eletrônico e roteirização” resume Valter Silva, gerente comercial da BGMRodotec.

A Sankhya oferece um sistema de gestão completo em que o gerenciamento de frotas é um dos módulos. Marco Antônio Salvo, consultor nacional da Sankhya, explica que o sistema gerencia desde a comercialização do frete ­ condições, datas, preços ­ até a formalização do transporte e toda a extensa documentação eletrônica necessária. “Atendemos a 1600 empresas com frotas”, diz Salvo.

Carlos Maffei, diretor comercial de Divisão de Sistemas da Benner, diz que a o sistema de transporte de cargas da empresa gerencia as manutenções preditiva e corretiva, o consumo de combustíveis, o rastreamento e a roteirização. O próximo passo é a telemetria para monitorar a dirigibilidade do motorista. Ele explica que todo o processo de manutenção vai passar pela rede CAN (barramento de rede para veículos), com sensores coletando no caminhão dados de temperatura, frenagem, aceleração contínua e temperatura do óleo.

Texto extraído de matéria do jornal Valor Econômico publicada em 20/12. Link original em: http://www.valor.com.br/empresas/4812721/programas-de-gestao-sao-chave-para-cortar-custos#